RU: CATRACA GERA POLÊMICA

Alunos se aglomeram em frente ao RU, junto com os já cadastrados.

A instalação da catraca no RU no recesso universitário gerou mal estar dos alunos com a reitoria. Nessa segunda-feira (09/07), sentindo-os ameaçados com um possível impedimento, os alunos não beneficiários através do Movimento Estudantil , protestaram para que todos os alunos tenham direito as refeições.

De acordo com a direção de centro, o Pró-reitor autorizou que todos tenham acesso até a saída do edital de cadastramento. Isso será realizado da seguinte forma: na primeira hora só terão acesso os alunos cadastrados, a partir de meio-dia todos terão acesso com os não cadastrados tendo que se identificar com nome e matrícula para controle.

Nossa assistente social estava organizando isso pode perguntar a ela. Em nenhum momento houve essa proibição.” Explica o vice-diretor Alexandre Scaico.

Segundo informações, isso será feito para dar maior garantia de acesso aos já cadastrados dado que são 360 almoços servidos por dia. Caso o número de alunos seja maior, não será possível o atendimento devido a produção máxima do dia.

O que se tentou primeiro foi dar preferência de acesso na primeira hora aos alunos assistidos. Como estava gerando um tumulto isso foi revogado e aberto para todos. Só que se pediu que os alunos se identificassem para controle.” Conclui Scaico.

O Movimento Estudantil tomou a frente no dia de hoje, de forma organizada, tudo foi normalizado e todos os estudantes puderam fazer sua refeição.

NOTA – Coordenação de Assistência Estudantil – CAES- CCAE

Em nome da Coordenação de Assistência Estudantil – CAES do CCAE venho por meio deste expor a situação ocorrida hoje no Restaurante Universitário do Campus IV.

Desde a semana passada venho dialogando com a Pró-Reitoria de Assistência e Promoção Estudantil – PRAPE a respeito da situação dos editais de auxílio estudantis para o nosso Centro assim como sobre a situação do RU. Porém, só obtive uma resposta e, consequentemente uma orientação mais concreta de como proceder hoje pela manhã. A partir disso fui entrando em contato com a sub prefeitura do nosso Centro e com a Direção para que pudéssemos encaminhar as orientações da PRAPE da melhor forma possível.

As informações que vieram da PRAPE diz respeito ao fornecimento de 360 refeições para o almoço e 300 para o jantar, número este que foi acertado em contrato junto com a empresa que venceu o processo licitatório ocorrido no semestre passado 2017.2. Esse número foi questionado pela PRAPE que buscou junto à Procuradoria Jurídica da UFPB uma alternativa dentro do contrato assinado para ampliar esse quantitativo haja visto que esse número não atende à nossa demanda. Isto só ocorreu por que, segundo a PRAPE, o edital foi para o pregão sem ter sido discutido com esta o quantitativo de vagas.

Isto posto, a PRAPE informou que a medida a ser tomada até ser autorizado a ampliação do quantitativo é: na primeira hora das refeições (almoço e jantar) seria priorizado os alunos já cadastrados (àqueles contemplados com Auxílio Moradia de Rio Tinto e Mamanguape, Restaurante Universitário e Residência Universitária), depois seria liberado o acesso para os demais estudantes com ressalva de que os alunos que não fossem cadastrados assinassem seus nomes e matrículas para o controle de acesso, assim como só poderia ser servido até os 360 almoços e 300 jantares.

Foi repassada aos estudantes essa orientação, porém os mesmos não acataram em virtude da quebra do acordo pela PRAPE de não ter aberto edital para RU durante esse início de período, onde ao menos os que estivessem inscritos no Edital teriam o direito às refeições até concluir o processo e ter um resultado final. Em contra partida a PRAPE alega que não abriu edital a tempo em virtude de não ter concluído o edital de Recadastramento, assim como esse problema do contrato assinado com a empresa que limita as refeições fornecidas, para se ter ideia do quantitativo de vagas para o nosso Centro englobando todos os auxílios sob sua responsabilidade.

Eu, Assistente social do Centro, passei a manhã e início da tarde dialogando com o movimento estudantil sobre como proceder diante desse descumprimento dos acordos estabelecidos, bem como sobre a nova conduta no acesso ao RU. Porém, os estudantes não acataram e se negaram a assinar as listas, sendo possível apenas estimar um quantitativo que foi sinalizado pela portaria do RU.

Até o momento ficou acordado com os estudantes que os mesmos iriam se reunir para organizar a entrada do jantar e assim por diante até que a situação seja resolvida, e foi  pedido a colaboração dos mesmos para assinarem as lista e garantirem seu direito à alimentação.

Qualquer novidade e/ou esclarecimentos  estamos à disposição.

Coordenação de Assistência Estudantil – CAES- CCAE

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*