REVERTENDO ESTATÍSTICAS DO CCAE

O aluno de computação Emanoel Rair conserta notebook e impressoras dos Parceiros do Projeto.

A evasão de alunos em alguns cursos vem causando um grande problema no CCAE (Centro de Ciências Aplicadas e Educação) da UFPB. Mesmo sabendo que os cursos ofertados pela instituição têm o objetivo de atender a região Litoral Norte, muitos universitários parecem não se importar com isso, isto é, insatisfeitos com as poucas oportunidades de emprego/estágio, decidem trancar ou simplesmente abandonar e vão para outro curso. Pensando nisso e baseando no último relatório de ANÁLISE DE FORMAÇÃO, RETENÇÃO E EVASÃO DE ALUNOS DE GRADUAÇÃO DO CCAE, o CALCC vem encabeçando um grande projeto envolvendo todos os cursos.

Segundo o CALCC-UFPB, a intenção é oferecer mão de obra para as prefeituras do Vale do Mamanguape, ou seja, cada curso oferecerá serviços únicos, por exemplo: O curso de Letras, Matemática e Pedagogia irão implantar a Casa de Reforço ao estudante nas cidades parceiras. Essa casa de Reforço ao Estudante é uma ideia de atender aos alunos de Ensino Médio e Fundamental que tenham deficiência em determinada disciplina.

Quando acompanhamos o relatório que foi divulgado pelo site CCAE, vimos o problema e logo a solução. Pretendemos em 2018 implantar em todos os cursos e muitos Centros Acadêmicos já estão cientes disso. Vamos dar bolsas a esses alunos para participarem desse projeto grandioso.” Comenta Wenddell Juler, Presidente do CALCC.

Algumas prefeituras já sinalizaram sinal verde e o projeto foi iniciado. As prefeituras parceiras estariam dispostas a dar um valor para o pagamento dos serviços oferecidos pelo Projeto, que oferecerão serviços que vão de Implantação do Conselho Municipal do Meio Ambiente à Suporte Técnico em computadores ou criação de softwares. Os valores arrecadados seriam convertidos em bolsas e repasses para os CAs.

Imagine termos um pacote que incluem palestras e projetos da área de Meio Ambiente, designers, desenvolvimentos de softwares, suporte técnico em impressoras e computadores, suporte em contabilidade, suporte na organização de eventos com o pessoal de secretariado, reforço aos alunos das escolas públicas e entre outros. Seriam de dez a quarenta alunos bolsistas envolvidos e estimulados em dar continuidade ao curso.” Finaliza Wenddell.

Seja o primeiro a comentar

Deixe seu comentário

Seu e-mail não será publicado.


*