MESTRADO DURANTE A GRADUAÇÃO

O Universo da Pós-Graduação parece, por vezes, nebuloso e confuso. É uma jornada em que é quase impossível obter informações e conhecer a dinâmica e as metodologias de um curso de Pós-Graduação. Vasculhar dezenas de sites, perguntar a todos os amigos (e também colegas, conhecidos, parentes e aderentes) que já fizeram ou façam, ou já tentaram, é uma missão cheia de dúvidas, incertezas e mistérios. Mas calma, é apenas QUASE impossível, difícil, mas há uma saída!

Uma das soluções mais eficazes no cumprimento dessa tarefa é a de se tornar um Aluno Especial. Sendo um Aluno Especial será muito mais tranquilo entender o que acontece em um Programa de Pós-Graduação, além de conseguir obter informações a respeito dos processos seletivos de maneira mais precisa e rápida. Esta categoria estudantil (se assim pudermos dizer) é ideal para quem já está no último ano de Graduação e que pretende ingressar no ano seguinte (ou não) em um Mestrado. Ou para quem já está terminando um Mestrado e pretende ingressar em um Doutorado, enfim, um momento para conhecer e se aproximar do próximo nível de estudos pretendido.

Cada Programa de Pós-Graduação lança as suas chamadas para Aluno Especial contendo informações como disciplinas ofertadas, número de vagas, duração. Cada edital tem suas especificações, diferindo também na época de lançamento, sendo que grande parte dos Programas o faz entre o término do primeiro semestre letivo e início do segundo.

Categorizando, aluno especial é todo aquele inscrito para cursar disciplinas isoladas oferecidas em um Programa de Pós-Graduação  Stricto sensu. O Aluno Especial deve participar de um processo seletivo posterior ao processo seletivo para alunos regulares e, sendo aprovado, poderá se matricular nas disciplinas isoladas no semestre vigente, à exceção das disciplinas obrigatórias que têm o número de vagas limitado. No entanto, não há vínculo efetivo dos Alunos Especiais com o Programa. Geralmente só é permitido ao aluno especial cursar uma disciplina por semestre.

Não sabia que em paralelo a graduação poderia fazer uma pós-graduação”. Comenta o aluno Computação Elízio Barreto.

É comum que o pedido seja avaliado pelo docente responsável pela disciplina, tendo em vista critérios como disponibilidade de vagas na turma e proximidade do perfil do candidato ao do aluno regular do curso. Aliás, normalmente é exigido o vínculo atual com uma instituição de ensino superior ou um certificado de conclusão de curso/diploma.

No contexto do Ensino Superior, a expressão aluno especial é utilizada para designar uma modalidade de matrícula diferenciada, um regime bastante específico, que é análoga à condição conhecida como aluno ouvinte.

A modalidade aluno especial permite que o estudante frequente a disciplina e participe do seu processo avaliativo, recebendo uma nota e uma frequência e, posteriormente, um certificado de conclusão da disciplina.

As finalidades de frequentar uma disciplina como aluno especial são variadas. Entre elas, adiantar uma disciplina de seu próprio currículo realizando-a com outro curso e utilizando o aproveitamento de estudos. Além disso, na pós-graduação stricto sensu, a modalidade é normalmente empregada para aclimatar os futuros alunos de um programa de mestrado ou doutorado antes que se inicie o período de inscrições.

Em geral, alunos especiais têm limite de número de disciplinas que podem ser cursadas (normalmente entre uma e duas) e obedecem cronogramas estabelecidos pelas universidades para solicitação, análise e aprovação dos pedidos.

No Campus IV da UFPB, existem alguns alunos em fase final de graduação que já estão cursando Mestrado como aluno Especial.

Fonte:

http://posgraduando.com/ser-aluno-especial-por-que-e-para-que/

http://noticias.universia.com.br/cultura/noticia/2017/11/28/1156659/sabe-diferenca-aluno-especial-ouvinte.html

Seja o primeiro a comentar

Deixe seu comentário

Seu e-mail não será publicado.


*