BOMBA! SEM VIGILANTES NO CAMPUS IV

Central de Aulas em Rio Tinto

Na noite dessa segunda-feira(30), a notícia de que a empresa terceirizada que faz a vigilância da UFPB não foi renovada, circulou por todo os grupos do whatsapp. Isso é verdade? Sim.

Desde meia-noite de hoje(31) o Campus IV está sem vigilância, ou seja, nada de segurança terceirizada. Isso chegou como uma Bomba para os alunos. Tanto o Campus de Mamanguape é perigoso com vigilantes, quanto o de Rio Tinto, agora imagine a universidade sem a vigilância. Diferente do Campus I, o Campus IV não tem vigilantes efetivos.

Quando essas informações chegarem a pessoas mal intencionadas, teremos um caos na universidade”.  Comenta a aluna de computação Amanda.

O momento agora é de preocupação, pois ainda não se sabe o impacto que isso causará nos próximos dias. A reitoria ainda não se pronunciou a respeito e também não foi divulgada nenhuma previsão para a solução desse problema. Muitos alunos já estão articulando com os seus Centros Acadêmicos para criar algum tipo de mobilização, que incluem a contratação de nova empresa e a recontratação dos mesmos profissionais que foram demitidos.  Alguns Centros Acadêmicos informaram que existem alunos que podem iniciar uma ocupação de alguns blocos nos próximos dias, caso a Reitora não se pronuncie a respeito com uma solução imediata.

Vamos reividicar sim, temos que fazer algo, veja em que ponto chegou. Estamos em uma das piores crises que a UFPB já teve. Profissionais com mais de oito anos demitidos, empresa dispensada, sem previsão de licitação para uma nova contratação e alunos que lutará por sobrevivência no caminho até o Campus.” Indaga a aluna design Jessilene Rodrigues.

Os vigilantes fazem um papel indispensável. Para os residentes do Campus IV, as noites serão mais longas. Qualquer movimento ou entrada de pessoas desconhecidas, a polícia deve ser acionada urgentemente.

A Diretora do CCAE, Angeluce, divulgou uma nota:

Prezados / as,  houve um problema e a empresa de vigilância não assinou a renovação do contrato com a UFPB. Isso significa que a partir da meia noite de hoje toda a UFPB ficará sem vigilância terceirizada.  No Campus IV, como não temos seguranças efetivos,  ficaremos sem ninguém.  Pedi apoio a Polícia Militar, a Guarda Municipal e Tiro de Guerra.  Teremos rondas frequentes essa noite.  Já informei aos estudantes que estão na residência  sobre essa situação e orientei que caso percebam alguma movimentação estranha na Universidade depois de meia noite podem ligar para a polícia militar.  Sinto muito por tudo isso e deixo claro que nem a direção de centro e nem a sub prefeitura do Campus IV tinham ciência desse risco.  Essa era uma negociação que estava sendo feita com a PU central.  Fomos pegos de surpresa hoje às 19:00. De lá até agora tentei ajuda do campus I pedindo o envio de ao menos dois seguranças efetivos, mas isso não foi possível. Esperamos que amanhã a administração central encontre uma solução para essa questão.  Att. Angeluce Soares – Diretora do CCAE.

Abaixo segue a publicação nas redes sociais do Prof. Paulo Palhano:

#CCAE: RESISTIR PARA NÃO SUMIR.

@ Há poucos dias fomos informados por diversos Vigilantes que haviam recebido o aviso prévio em pleno raiar do sol. Acho que há duas semanas. Alguém soube desse fato?

@ Em seguida circulou a notícia que haveria apenas cortes de pessoal: 04 postos de vigilância. Alguém tomou conhecimento?

@ Agora, apareceu a notícia oficial: serviço suspenso de vigilância.

@ Por um lado, esperamos que a Direção do CCAE junto a Prefeitura e Reitoria da UFPB possam encontrar com rapidez uma solução.
@ Por outro, comprendo que a AdufPB deve convocar uma reunião/assembléia extraordinária para essa quarta-feira visando discutir essa pauta, pois zap não pode substituir o diálogo de uma categoria.

Paulo Palhano,

Seja o primeiro a comentar

Deixe seu comentário

Seu e-mail não será publicado.


*